O que é empreendedorismo social
maio 6, 2022

O que é empreendedorismo social

Por admin

Muito se fala sobre o assunto, por isso vamos explicar como funciona e de fato o que é empreendedorismo social.

No empreendedorismo social o foco é melhorar a sociedade. Ou seja, é uma construção de negócio para viabilizar soluções e mudanças na realidade das pessoas. Existem diversas formas de realizar um empreendimento social, como por exemplo: oferecer capacitação, emprego, oportunidades de tratamento de saúde, atuar na preservação ao meio ambiente e entre outras opções.

De acordo, com a instituição Ashoka Empreendedores Sociais, uma das pioneiras no ramo, “os empreendedores sociais são a força corretiva essencial. São empreendedores da mudança sistêmica e indivíduos cuja essência, e consequentemente, cujas ações estão profundamente comprometidas para o bem-estar comum.”

O que é empreendedorismo social

Nesse sentindo, podemos entender que o empreendedorismo social é a expressão de uma causa. Pode beneficiar uma comunidade local ou global, melhorando a qualidade de vida e sugerindo formas de inclusão e emancipação social.

Para ser um empreendedor social é preciso se posicionar e entender o problema que pretende resolver. Tudo isso, aplicando algumas ferramentas de negócio para criar o impacto socioambiental. O líder irá convencer as empresas parceiras, a equipe e a população de como todos sairão beneficiados.

Nesse sentido, para seguir com o empreendedorismo social precisa-se de:

  • Propostas de criação de ideias para resolver problemas sociais;
  • Práticas e conhecimentos de inovação;
  • Parcerias para sustentar os projetos;
  • Transformação das comunidades;
  • Utilização de enfoques baseados no mercado para resolver os problemas sociais;
  • Identificação de novos mercados e oportunidades para financiar uma missão social.

O que é empreendedorismo social? E terceiro setor?

Ás vezes pode acontecer uma confusão entre as definições, por mais que sejam parecidos se tratam de coisas distintas. Ambos podem lutar pela mesma causa, porém o empreendedorismo social não depende somente de doações para sobreviver.

Sendo assim, é o encontro entre fazer o que acredita e gerar lucros, alguns podem vir de produtos ou serviços. Mesmo que a parte monetária não seja o foco principal deste modelo de negócio é importante ressaltar essa diferença.

Na mente do empreendedor comum o lucro é a meta. Além disso, tudo é voltado para atender demandas de mercado. Já o empreendedorismo social se propõe a resolver um problema por meio de iniciativas viáveis e que agreguem valor na sociedade.

Além das diferenças com o terceiro setor, o empreendedorismo social não pode ser confundido com as ações de responsabilidade social. Essas são produzidas pelas empresas em determinadas épocas, como uma campanha sazonal. Sendo assim, não há a motivação de promover mudanças efetivas, apenas de oferecer um paliativo.

E como fica a questão do lucro?

Mulher de negócios com gráficos

O lucro pode não ser o agente principal dessa equação. Por isso, ainda existe a mentalidade que o empreendedorismo social não vale a pena, mas a realidade é outra. Existem formas de gerar receita fazendo algo em prol da sociedade.

O empreendedorismo social tem a capacidade de agregar valor e se manter sem depender de doações e auxílios. Porém para atingir esse patamar é necessário planejamento. E não só isso, parcerias e uma estrutura sólida também são essenciais.

Atualmente, o uso do crowdfunding vem ganhando espaço. São sites de financiamento coletivo que oferecem oportunidades para projetos sociais. Além disso, serve como plataforma de divulgação das empresas e iniciativas.

Qual a função do empreendedorismo social?

A resposta é simples: sanar as necessidades esquecidas pelo Estado. Dessa forma, é possível atender as demandas de populações vulneráveis. Alguns temas são recorrentes no ramo do empreendedorismo social, como por exemplo: educação, meio ambiente, habitação, saúde e capacitação técnica.

O termo ganhou forças nos anos 1990 e trouxe a união de várias entidades sociais. As ONG’s começaram a se organizar efetivamente na arrecadação de fundos. As empresas participam de ações esporádicas e podem ser parceiras de iniciativas.

As ações tendem a começar em apenas uma comunidade, sendo experimentos locais. Conforme a aceitação e viabilidade do projeto a tendência é crescer. Além de impactar mais pessoas é também uma forma de aumentar o financiamento.

A função do empreendedorismo social é transformar o cotidiano das pessoas. Ao agregar valor social no trabalho é possível atingir propósitos e metas.

O impacto é real

Homem de negócios trabalhando

Projetos ao redor do mundo são responsáveis pela alimentação, melhoria na qualidade de vida e bem-estar da população. Cada uma dessas ações tem um impacto muito maior quando olhado individualmente.

Outro benefício é o efeito dominó, ao fornecer oportunidades para pessoas que não tinham, elas podem crescer intelectualmente e continuar trabalhando em prol de uma causa. Esse modelo de negócio pode deslanchar ainda mais. Com o apoio de financiamentos, ou de forma totalmente sustentável.

Os exemplos de Empreendedorismo Social no Brasil

Ao observar esses exemplos é possível ter a certeza que o empreendedorismo social é viável. Confira a seguir, algumas instituições e os seus objetivos:

Gerando Falcões

A iniciativa foi formada por Eduardo Lyra, jovem da periferia de São Paulo, que se dedica para melhorar a vida das crianças. Cerca de 30 mil estudantes já foram impactados pelas ações do projeto, que promove oportunidades.

Instituto Chapada

A pedagoga Cybele Oliveira é a principal líder, neste caso a meta é aprimorar a qualidade da educação pública. Dando apoio para os professores com o processo de formação continuada e auxiliando na criação de redes colaborativas para fortalecer as políticas públicas de educação.

GRAACC

O Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer é um dos mais conhecidos e funciona desde 1991. O oncologista pediátrico Antonio Sérgio Petrilli decidiu se dedicar ao assunto e a organização já tratou mais de 5 mil pacientes

Além disso, são um exemplo de como as parcerias podem ser bem sucedidas, a gestão envolve pesquisadores de universidades, iniciativa privada e sociedade.

A prática do empreendedorismo social

Executivo com notebook

Colocar tudo isso em prática não é uma tarefa fácil. É sempre bom começar pelo mais simples: a identificação do problema e a solução mais viável para o modelo do seu negócio. Afinal, o foco é manter decisões sustentáveis que terão impactos perenes.

Agora sabemos o que é empreendedorismo social, sabemos que ele é contínuo e os resultados devem ser pensados no futuro. Por isso, demanda um alto investimento em tempo, planejamento, estrutura, montagem de equipe e muito mais. Não se esqueça que para resolver os problemas é sempre bom ouvir e entender quem está vivendo a realidade.